Menus e submenus

Logos das redes sociais

Estudos bíblicos em texto


A Rebelião


REBELIÃO: revolta, insurreição, revolução, conspiração, etc. Uma revolta ocorre pois, quando há uma mudança de lealdade, quando alguém se rebela contra a autoridade. A bíblia compara este pecado ao pecado de feitiçaria ( 1 Sam. 15:23).

QUEM FOI CORÉ?: segundo o texto sagrado, Coré foi um Levita da família dos coatitas e que exercia uma boa posição no ministério do Tabernáculo (Num 16:1,9). O seu nome significa calvice.

DATÃ E ABIRÃO: Estes eram parentes da tribo de Rúbem e filhos de Eliabe. Foram os obreiros da congregação de Coré com falsas acusações levaram o povo a rebelar – se contra Moisés (Num 26:9).

Como vimos acima, REBELIÃO, é o ato de alguém levantar – se contra a autoridade a qual está subordinado. Isto foi o que por diversas vezes aconteceu em Israel (Num 20:24; Dt 9:7,24; Dt 31:27; Sl 78:40; Os 4:16; Heb 3:16; Is 65:2; Jer 5:23; Dan 9:5; Rm 10:21).

Estas são algumas referências que mostram o quanto Israel foi rebelde. Porém, queremos mostrar aquela que consideramos uma das piores rebeliões do Povo de Deus.

A REBELIÃO DE CORÉ, DATÃ E ABIRÃO
A rebelião desencadeada por esses três homens, foi talvez a mais grave de todas que a bíblia fala, excepto a de Lúcifer, juntamente com os anjos que lhe seguiram e também a de Adão e Eva a qual pode ser do ponto – de – vista humano, a mais terrível de todas.

A rebelião de Coré, deixou marcas em Israel que nem mesmo o tempo pôde apagar. Fazendo um minucioso estudo do texto que relata tal acontecimento podemos ver quais as razões que levaram estes três príncipes a se rebelarem.

AS CAUSAS DA REBELIÃO DE CORÉ
1.      INVEJA
A rebelião de Coré foi muito séria, porque muitos príncipes se associaram a ele. O que estava na raíz de todo movimento era a inveja, “toda a congregação é santa” diziam eles: “...Porque, pois vos exaltai sobre a congregação do Senhor?...” Não há outra raíz de amargura que exija vigilância e tanto cuidado como a inveja. Como disse certo autor devemos fazer como Samuel, no passado que despedaçou Aguague perante o SENHOR (Comentário Bíblico de Meyer).

A inveja tem levado muitos homens de Deus ao fracasso. O que dizer de Saul que levantou – se contra Davi, após este ter matado Golias. Diz a bíblia que vendo Saul as mulheres cantando: “... Saul matou seus milhares, porém , Davi seus dez milhares...” Desde então seu coração não era mais o mesmo para com Davi e procurava matá – lo!     (1 Sam 18:7-9). A inveja é um tipo de sentimento maligno em que a pessoa sente – se mal pelo bem estar de outrém. A bíblia nos ensina que devemos : “...Chorar com os que choram e se alegrar com os que se alegram...”, isto nos ensina que devemos compartilhar com o nosso próximo de seus momentos de tristeza e de alegria (Rom 12:20). A inveja foi um dos elementos que levou os judeus e fariseus entregarem Jesus à morte (Mat 27:18; Sl 37:1; Prov 3:31; 14:3; 23:27; 24:1; 24:19; 27:9).

A inveja é uma das obras da carne (1 Cor 3:3; 2 Cor 12:20; Gal 5:21). Por isso, a recomendação Bíblica é: Despojando – vos de toda malícia e todo engano e fingimentos, a INVEJA e todas as murmurações. Algumas pessoas que demonstraram este sentimento, foram:
- CAIM (GEN 4:5); OS FILISTEUS (GEN 26:14); OS IRMÃOS DE JOSÉ (GEN 37:11); JOSUÉ (NUM 11:28,29); CORÉ     (NUM 16:3; SL 106:16); SAUL (1 SAM 18:8); OS JUDEUS (AT 13:45; 17:5); PRINCIPAIS SACERDOTES (MC 15:10). Oremos e vigiemos para não caírmos nas mesmas tentações que estes caíram.

2.      INSATISFAÇÃO
A insatisfação ou descontentamento é um mal que tem atingido muita gente. Há pessoas que não se conformam de forma alguma com o que são. Este foi um dos sentimentos que levou aqueles homens a rebelarem – se contra Moisés e Arão, consequentemente contra o SENHOR. Isto está muito claro no versículo 9 que diz: “...Pouco para vós é que o Deus de Israel vos separou da congregação de Israel para vos fazer chegar a si, a administrar o ministério do Tabernáculo do SENHOR e estar perante a congregação, para ministrar; e te fez chegar e todos os teus irmãos, os filhos de Levi, contigo; ainda também procurais o sacerdócio...” (Num 16:9-10).

Este não é um mal que atingiu só Coré e seus companheiros mas, ao longo da Bíblia bem como na história atual vemos que não são poucos os que têm este maligno sentimento de insatisfação. Para os que assim pensam vale muito as recomendações Bíblicas que dizem (Fil 4:11; 1 Tim 6:6; Heb 13:5). Conforme os versículos 9-10, os homens já gozavam de posições de destaque entre o povo, eles ministravam no Tabernáculo; eram príncipes e renomado. Porém tudo isto não lhes bastava, queriam o sacerdócio. Nos dias atuais não é diferente, pois vemos pessoas que mesmo gozando de boa posição nas igrejas não se contentam com o que são e procuram se levantar contra aqueles que Deus tem colocado na frente de sua obra. Tenhamos cuidado, pois o Deus que elegeu Moisés e Arão como líderes de seu povo é o mesmo que hoje levanta homens segundo o seu propósito para conduzir a sua igreja (Ef 4:11). Assim como não ficaram inpune àqueles, também não ficarão todos que, insatisfeitos, se rebelarem contra os servos do Senhor.

3.      FALSAS ACUSAÇÕES:
Devido sua inveja e insatisfação, aqueles homens tentaram seduzir o povo com falsas acusações contra Moisés e Arão. Moisés convocou a Datã e Abirão para que apresentassem suas queixas, porém não obedeceram. Murmuraram e falaram mal de Moisés e Arão. Muitas vezes às pessoas que, na verdade, merecem os mais elevados elogios, são motivos das piores censuras. Foi tão grave as acusações deles que mesmo sendo Moisés o homem mais manso da terra, irou – se muitíssimo (v. 15).

O Ensino Bíblico para nós quanto ao nosso relacionamento com aqueles que presidem sobre nós é que devemos amá – los, obedecê – los e tê – los em grande estima, atentando para a sua maneira de viver (1 Tess 5:12,13; Heb 13:7-17).

AS CONSEQUÊNCIAS E OS MALES DA REBELIÃO:
Como é triste o resultado daqueles que seguindo o exemplo de Coré, Datã e Abirão, entram pelo caminho da revolta. Estes não ficaram sem os frutos de seu mau caminho, pereceram em seus pecados. A Rebelião é enganosa, os que se deixam levar pelo descontentamento geralmente, rebelam – se contra as autoridades pensando que serão bem sucedidos, mas, as consequências são as mesmas ou semelhantes a destes.

Os males causados pela insurreição de Coré, Datã e Abirão, foram:
1 - Foram destituídos da posição que tinham;
2 - Não alcançaram o que desejavam;
3 - Foram sepultados vivos;
4 - Outros foram consumidos pelo fogo da ira do SENHOR (Num 16:31-35).

Quando examinamos a Palavra de Deus, vemos que a REBELIÃO sempre produziu frutos amargos para os que não refreiam as suas emoções e caem nesta condenação. Isto foi o que aconteceu não só com Coré, mas também com:
- SAUL (1 SAM 15:22-23; 31:1-5);ABSALÃO (2 SAM 16:15-23; 18:9-15); UZIAS (2 CR 26:16-23).
Estes são alguns exemplos de pessoas que entraram pelo caminho da Rebelião e foram devorados pela rebeldia. Devemos ter o máximo de cuidado para não cairmos na mesma situação deles.

CONCLUSÃO
Como diz Champlim, Coré representa o cisma, a usurpação da autoridade legítima e a revolta. Heresias essas, que causam divisões eclesiásticas, contendas que dividem os irmãos na fé. Todos quanto se ocupam dessas coisas são os filhos espirituais de Coré, como podemos ver nas vidas de:
- Diotréfes (3 Jo 3); Alexandre, o latoeiro (2 Tim 4:14); Himeneu (1 Tim 1:20); e de Janes e Jambres (2 Tim 3:8).
Os nomes destes últimos não aparecem nas páginas do Antigo Testamento, no entanto, são frequentemente citadas, nesta conexão, no Talmude de onde passaram para a Literatura Cristã Primitiva, conforme se vê neste ponto. Supostamente, esses dois homens se encontravam entre os mágicos egípcios, na corte de Faraó, os quais tentaram impedir a libertação dos Israelitas ao repetirem vários dos milagres realizados por Moisés.

Fazendo uma retrospectiva da vida de Coré, Datã e Abirão, podemos dizer que Deus não aceita a rebelião pelo menos por cinco razões:
1- Porque é semelhante ao pecado de feitiçaria (1 Sam 15:23);
2 - Porque Deus não tolera este tipo de atitude (Ex 23:21);
3 - É uma doença crónica (Dt 31:27);
4 - Conduz à servidão (Ne 9:17), e por fim;
5 - A rebelião contraria à Lei do SENHOR (Os 8:1). Portanto, nunca devemos sentir ciúmes ou inveja de alguém que esteja sendo usado por Deus, mais submetermo – nos às autoridades constituídas por Ele, “...pois quem resiste à autoridade resiste ao Senhor e trará sobre si a condenação...”(Rm 13:1-5).



Desmascarando o catolicismo



1 - Há uma igreja que qualifica Maria como imaculada e sem pecado; está escrito: 1 Rs. 8:46; Rom. 3:9-10,23; Rom. 5:12.

2 – Tal igreja diz que Maria é mediadora entre Deus e os homens, na vida e na morte; está escrito: 1 Tim. 2:5; Heb. 8:6; Heb. 12:24; Rom. 8:26,27.

3 – Maria, rainha dos céus; deus condena esta afirmação; está escrito: Jer. 44:16-18,22; Jer. 7:18.

4 – Eles dizem que Maria foi virgem até a sua morte; está escrito: S. Mat. 13:54-56; S. Lc. 2:7; S. Jo. 3:16.

5 – Esta igreja diz que Pedro foi o primeiro papa e a Rocha na qual a igreja está edificada, esta declaração é falsa; está escrito: At. 4:11,12; Sl 118:22,23; 1 Pd. 2:6,7; Heb. 9:11,12.

6 – Esta igreja diz que o papa é a cabeça da igreja, desde já o termo ‘Papa’ não é termo hierárquico para a igreja e não consta na bíblia; está escrito: Ef. 5:23; Col. 1:18,19; e Deus condena o chamar aos homens Papa (pai) – S. Mat. 23:9, pois tão pouco consta na bíblia os títulos de cardeais e arcebispos.

7 – Esta igreja usa a água benta para expulsar demónios, isto é uma doutrina falsa; Jesus é a Água Viva; está escrito: S. Jo 7:37,38; Lc. 16:17; S. Mc. 16:17.

8 – Esta igreja adora ídolos, imagens feitas por homens; Deus condena toda a idolatria; está escrito: Jer. 10:3-5; Ex. 20:3-5; 1 Cor. 10:14,19,20; Gal. 5:20; 1 Pd. 4:3; Ap. 22:15; Ef. 5:5; Ap. 21:8.

9 – Esta igreja aboliu o casamento aos sacerdotes (padres), 1 Tim. 4:3, com pretesto de que Pedro não era casado; mas alguns dos apóstolos tinham as suas mulheres e a bíblia fala da sogra de Pedro; está escrito: S. Mc. 1:30; 1 Cor. 9:5; Lev. 21:13 – é da vontade de Deus que os sacerdotes se casem.

10 – Os bebés e as crianças não necessitam de batismo, diz as Escrituras, porque não são conscientes nem têm conhecimento do pecado e não podem tomar decisões responsáveis, pois o batismo é para adultos, responsáveis dos seus atos e com capacidade de raciocinar entre o bem e o mal; está escrito:
Ez. 18:23; S. Mat. 3:1,2,6 – As crianças não precisam se arrepender porque delas é o Reino dos céus (S. Mc. 10:14).

11 – O que diz a bíblia com relação à idolatria: romarias e procissões; está escrito:
Is. 45:20; Is. 44:17,18; Rom. 1:21-25




Devemos guardar o sábado?


Ezequiel 20:12,15,20; Gálatas 3:24,25

A tipologia e o simbolismo do sábado, o cristianismo não observa o sábado mosaico ou judaico cronologicamente temporal
S. Mateus 5:17; Romanos 10:4,6; S. Mateus 12:1-8
Sábado= repouso ou descanso.
Jeremias 6:16-19; S. Mateus 11:28,29

Nos evangelhos e nos Atos dos apóstolos, o sábado é mencionado com relação aos judeos. O resto no resto do Novo Testamento, o sábado é citado apenas em duas ocasiões; Col. 2:16-18; Heb. 4:3-5, para indicar seu significado espiritual e tipológico, como sombra e sinal do verdadeiro, que é Cristo. Nestas passagens, não se afirma em absoluto que devemos observar o sábado, mas que, o sábado foi dado à Moisés como uma instituição judaica do Velho Testamento, que é uma lei e aliança específica de Deus com o povo de Israel na qual podemos ver, uma imagem profética do repouso que espera o povo de Deus, na Nova Aliança da graça.

Jesus Cristo é a graça da Lei!, (então define – se que Jesus é o repouso e descanso dos que buscam refúgio e consolo em Deus) .

Ao sermos comprados com o precioso sangue de Cristo, o nosso repouso já não depende do tempo cronologicamente, ou dos dias calendaricamente.

Ninguém deve ser julgado por não observar o sábado Mosaico.
Gálatas 4:9-11; Atos 20:7; Romanos 14:5-7; S. Mateus 12:9-14; S. Lucas 4:14-16,31; Hebreus 4:1-11


  

A Lei Eterna

Da conciência (mente) eterna e espiritual

1 - Ditada por Deus - Êxodo 20:3-17

2 - Escrita por Deus - Êxodo 31:18

3 - Escrita em tábuas de pedra - Deuteronômio 4:13

4 - Guardada na arca - Deuteronômio 10:5

5 - É chamada, Lei do Senhor - Salmos 12

6 - Permanece para sempre - Salmos 111:7,8; Salmos 119:44; S.Lucas 16:17

7 - É perfeita - Salmos 19:7

8 - É chamada de Lei Real - S.Tiago 2:8

9 - A Lei do Senhor é Santa - Romanos 7:12

10 - A Lei do Senhor é a Verdade, e Deus é a Verdade - Salmos 119:142;
Jeremias 10:10; Deuteronômio 32:4

11- Não foi anulada - Romanos 3:31

12 - Revela o pecado - Romanos 7:7,10; Romanos 3:19-20

13 - A Lei será usada no juízo - S.Tiago 2:12; Romanos 2:12

14 - Foi exaltada por Cristo - S.João 14:15
E quais são os mandamentos da Lei em Cristo? - S.Mateus 22:36-40; S.João 15:12-14; Gálatas 5:14

15 – A Lei de Moisés baptizava nas águas até João Baptista, daí em diante é o Baptismo no Espírito Santo – S.Mateus 3:1-11; Ezequiel 36:26; Atos 19:2-6; Joel 2:28-29.

16 – A Lei de Moisés purificava com sangue de animais; na Lei da fé (nova aliança) o cordeiro é Cristo – S.João 1:17,29,36; Hebreus 9:11-14; I Pedro 1:18-19; Apocalipse 12:11

17 - Contém o Sábado Espiritual e Eterno (Sétimo dia) sinónimo de repouso Pleno e Eterno ( Jeremias 6:16; S.João 14:6; S.Mateus 11:28,29; Romanos 10:4) Jesus é o Primeiro e Último; faz do Primeiro e do Sétimo dia, um só dia!!!

O dia do Senhor - Apocalipse 1:10; Efésios 2:14
Os sábados da Lei de Moisés, não são o Sábado da lei Espiritual e Eterna. Ezequiel 20:12,16,20






Os dois baptismos : O da Lei e o da Graça (Nova aliança)

O do Espírito Santo por Jesus Cristo e o batismo da lei de Moisés por João Batista.
O batismo da lei e o batismo da graça (Nova Aliança)

1 – O baptismo da lei, é o de João, pelas águas; o da graça, é o de Jesus Cristo, no Espírito Santo. S. João 1:16-36; Mat. 3:15

2 – O baptismo das Águas, era simbólico; um sinal, como testemunho público de arrependimento. O único local de baptismo era o rio Jordão = (o que desce ou descendente).    S. Mat. 3:1-3,5-8.

3 – O baptismo no Espírito Santo, é uma evidência do novo nascimento que é confirmado com o fruto do Espírito Santo, caso contrário o arrependimento é falso, não verdadeiro. 1 Sam. 10:6,7; Jó 33:4; Gal. 5:22; 2 Cor. 5:17; 1 Pedro 1:1,23,25.

4 – Com relação aos rituais, sacrifícios e símbolos da lei como bodes, touros, sangues, águas e azeite. Ezeq. 36:25-27; Ezeq. 11:19; Heb. 6:1-6; Heb. 10:22; S.João 17:17.

5 – Azeite: símbolo do Espírito Santo; 
Luminária, Luz e Fogo. Ex. 35:8,14,15.               
Água: símbolo da Palavra que lava e limpa. Ef. 5:26,27.

6 – O baptismo de João de onde era. S. Mat. 21:25; S. Lc. 20:3,4; S. Mat. 3:11.

7 – E Jesus mesmo a ninguém baptizou nas águas, porque Ele baptizaria a Igreja, com o baptismo do Céu (Espírito Santo). S. João 4:1,2; Act. 1:4,5; Act. 11:15,16; S. João 14:15-18.

8 – Razão pela qual, os que se baptizavam nas águas, não tinham noção do pecado, porque lhes faltava o Espírito Santo. S. João 16:7-9.

9 – O baptismo de João não tinha o poder de transformação, nem do homem nascer de novo. Act. 18:24-26; Act. 19:1-6.

10 – O Selo de Deus nos crentes discípulos. Ef. 4:30.

11 – E para que serve? Rom. 8:16; S. João 4:24; Ef. 5:8-10; Gal. 5:22,24,25.

O Espírito Santo vem sobre aqueles que pedem o seu baptismo. S. Lc. 11:13”




O engano dos dízimos

“Examaminai as Escrituras” S. João 5:39; Ef. 5:14
O dízimo não é transitório à Nova Aliança da Graça no Novo Testamento. S. Jo. 8:32,36; Rom. 7:6

Porque Cristo e o Evangelho, não veio para acusar nem para condenar os homens, mas para libertar, santificar e justificar todo aquele que crê em seu Nome (Messias). Rom. 3:21-28; Gal. 3:13.

O Nosso Senhor Jesus Cristo, que é o Sumo Sacerdote de justiça e de paz, à semelhança de Melquisedeque, não recebeu dízimos de ninguém nem deixou lei alguma de cobrança de dízimos na Aliança do seu sangue, com o qual nos comprou, tanto judeus como gentios para dos dois fazer um só povo (a Igreja - Noiva) livre da lei de Moisés! Rom. 10:4; Ef. 2:13-18; Gal. 3:7-10.

Estamos a viver conjunturalmente os últimos dias do fim, em que o maior sinal profético é a apostasia (1 Tim. 4:1-2) e a extrema corrupção (2 Tim. 3:1-5) que tem origem no dinheiro (Mamom), S. Mat. 6:24 é a causa da desenfreada concorrência inexcrupulosa nas igrejas, por homens teólogos supostos ministros do Evangelho que, tomados desprevenidos pelo espírito de Mamom, torcem a Palavra de Deus sem temor (Jer. 23:36; 2 Pedro 3:16) por interesses pessoais, introduzem com subtileza heresias que são doutrinas de demónios (2 Pedro 2:1-3), com fins lucrativos (At. 20:29,30,33); e, fazem da Casa de Deus, um mercado de negócios comerciais onde os produtos de venda e promoção são:  falsas profecias que iludem o povo com promessas que não acontecem, curas divinas ilusórias, objectos religiosos inventados pelos tais, e cobranças de dízimos que não é legal; porque o dízimo não tem respaldo jurídico da lei na Nova Aliança do Novo Testamento. Estes tais ladrões dos altares, aproveitam – se do Velho mandamento da Lei em Mal. 3:10, Heb. 7:2,5,9,12; Mat. 23:23 e, se esquecem que os anos todos que Jesus viveu até à cruz, foi debaixo da Lei do Antigo Testamento (Gal. 4:4) e que a Nova Aliança do sangue, só entrou em vigor após sua morte e ressurreição (Heb. 9:16,17); apartir dai  entra em vigor a Aliança da Graça do Novo Testamento (Heb. 8:6,8).

Fica definitivamente esclarecido que a cobrança de dízimo não faz parte da Nova Aliança; e quem cobra o Dízimo, pratica burla, fraude e roubo (S. Jo  10:10), estes ministros cometem um atentado à justiça de Deus que é Amor; esses tais, por torpe ganância e avareza correm o risco de serem julgados  sem misericórdia no juízo final, se não se arrependerem agora!, onde Cristo dirá a todos os que praticaram iniquidades: nunca vos conheci, vós os que praticais a iniquidade! A cobrança de dízimos faz parte do pecado da avareza que é idolatria, e da extrema corrupção e do amor ao dinheiro (Mamom) Col. 3:5,6;1 Tim. 6:10; Rom. 16:17,18. Tais ministros ofendem e acusam o povo de ladrão, chegando ao extremo de afirmarem que quem não paga dízimos, está em pecado, amaldiçoado e não está salvo; grandes mentiras!, o que salva não é o dízimo, mas sim a fé no Nome e no sangue de Jesus que nos lava e nos purifica de todo o pecado!

O dízimo foi lei e mandamento para os da casa de Israel ao sacerdócio dos levitas    (Lev. 27:34;   Num. 18:21-26) e não para a Igreja que a Noiva de Jesus Cristo.

O povo é enganado por teólogos e suas hermenêuticas filosóficas; porque o povo não examina as Escrituras. Os. 4:6; Os. 6:3; Jer. 33:3; Mc. 4:22; S. Jo. 14:26; S. Jo. 16:13.
Faça  um estudo profundo e rigoroso e que Deus te abençoe!



A origem da árvore de natal e sua festa no dia 25 de Dezembro

Examine as escrituras (S. João 5:39)

Natal = Noel – termo original da língua francesa; significa: não a Deus (No = não; El = Deus).

1 – Porque é que a verdadeira igreja não comemora o natal (suposto nascimento de Jesus)?
Ecl. 7:1; Jer. 20:14,18; Jó 3:3,4,6; Sl 51:5.

2 – A data de nascimento de Jesus.
A bíblia não especifica cronológica e concretamente a data do nascimento do Nosso Senhor Jesus Cristo. S. Lc. 2:8; Cantares 2:11.

3 – Sincretismo da árvore de natal.
Árvore da ciência, das descobertas, do progresso e das tecnologias do atual desenvolvimento das nações. Gen. 2:16,17; Dan. 12:4; Ecl. 7:14,15; Is. 44:25; Is. 41:24.

4 – O significado da árvore de natal.
Jer. 10:1-4; Sl. 106:35-38; Ez. 16:20,21; Jer. 7:31; 2 Cron. 28:3,4; 2 Rs. 17:10; Dt. 16:21; Dt. 12:30-32.

5 – Os nossos pecados dão lugar e ocasião ao diabo para debochar e blasfemar do nosso Deus. 2 Sam. 12:14.

6 – Os gregos e os romanos religiosamente festejavam as saturnais, termo este que vem de Saturno, um Deus grego, muito antes do nascimento de Cristo, festa onde os escravos e os senhores se misturavam ; esta data era de 17 a 21 de Dezembro.

A festa da vigilália, era aos 22 de Dezembro, para a entrega dos brinquedos.

Festa da brumália: que é de 25 de Dezembro, fizeram desta data  subliminarmente, a suposta data do nascimento do Senhor Jesus Cristo.

Festa do sol nascente ou sol invictu que se juntava com a festa do deus greco – romano, chamado: Dionísio ou Bacu que significa deus do vinho ou da bebedeira. Is. 5:11; Prov. 20:1; Os. 4:11; Prov. 23:30-35; Dan. 5:4; Hb. 2:15; 1 Cor. 6:10; 1 Cor. 5:11.

Mitra: deus da mitologia greco romana que deu a luz uma árvore (sofia) que iluminaria os homens, dando sabedoria (filosofia) e ciências, a atual tecnologia. Gen. 2:16,17; Dan. 12:4; Ecl.7:29; Ecl. 12:12;
1 Cor 1:20,22. A razão das festas de Dezembro na religião greco – romana (catolicismo) era antropologicamente um misto subliminar pelo nascimento de Mitra = Dagon (deus dos filisteus). 1 Sam. 5:1-7; Jz. 16:23. Aqui encontramos, o real sincretismo entre a religião católica greco – romana com os deuses dos povos pagãos de outras nações. Festejar o natal é abominação porque é idolatria e não tem respaldo bíblico, o Diabo é o pai da mentira (S. Jo. 8:44).

A religião católica faz sincretismo entre Jesus Cristo e Santa Claus (Nicolaus ou pai natal)
1 - Segundo Hebreus 7:3, Jesus Cristo sendo Deus não tinha mãe, nem pai, nem filhos, nem mulher e sem genealogia; Santa Claus, sacerdote do norte, a mesma coisa. 2 – Jesus Cristo nasceu da banda do norte
(Sl 48:2); Santa Claus, a mesma coisa, também era do norte. 3 – Jesus Cristo tinha os cabelos como a branca lã (Ap. 1:14); Santa Claus também tinha barba e cabelos brancos. 4 – Jesus trabalhava a madeira como carpinteiro junto de seu pai José (S. Mc. 6:3); Santa Claus também era carpinteiro. 5 – Jesus ama as crianças, e dirige – se à elas e anda no meio delas (S. Mc. 10:14); Santa Claus dá brinquedos e está com as crianças em todos os natais.



O football e suas origens ocultas

S. Jo. 8:32,36; S. Jo. 17:17; S. Jo. 14:30
Que diz a bíblia acerca desta prática (footbaal)
Is. 22:17,18; Is. 17:13; 1 Cor. 9:24-26; S. Mc. 6:24,25; Sl. 106:35-39

Ritual de origem Egípcio, transladado para a China por um sacerdote espírita budista de nome Yang – Tsé, por volta do ano 2600 A.C; à esta prática deu – se o nome em chinês de ‘Kamarí’, que significa: “chutar cabeças”. Esta prática chegou à Grécia, e deu – se o nome de Episkiros, que significa: “raio que cai no centro ou ponta de lança”, Lc. 10:18; um deus do olimpo do panteão dos deuses gregos, equivalente a Júpiter, deus dos trovões e dos raios; os seus símbolos são:

- Raio, águia, touro e os três arcos que simbolizam o 666 (seiscentos e secenta e seis), que fecham o panteão dos deuses (ídolos) do desporto. Daí traduz – se os chamados jogos olímpicos, que tem o football como o ‘Astro Rei’; daí vem a palavra Olímpia: cidade grega, símbolo do deus Delfus, cidade onde tinham lugar os jogos píticos e foi considerada o ‘centro do mundo’ (Pandemónios). Levado à Roma, o football passou a ser chamado ‘Harpastum’ que é o nome de um deus romano, que significa ‘campo de jogo e sacrifícios’. Chegou à Inglaterra, onde lhe é dado o nome de football, que significa pé na bola, pé de Baal, ou chuto de Baal; este, está ligado à Mamom, deus das riquezas temporais e da glória do mundo.S. Mat. 6:24; Deut. 23:18.

Os idólatras inventores de jogos rituais, entretenimentos e sacrifícios à Baal, homens e rapazes maus e escandalosos, não herdarão o reino dos céus. 1 Rs. 14:24; 1 Rs. 15:12;1 Rs. 22:47; Ez. 14:1-11; Is. 57:4; Ef. 5:6-14; 1 Cor. 10:20,21.
  
Os cristãos não devem se envolver na idolatria do futebol




A importância do Espírito Santo e o seu valor na criação do universo e na Igreja de Cristo

A necessidade, o valor e a importância do Espírito Santo transcende tudo e todos (Is. 40:22; Gen. 1:2; Jó 9:8; S. Jo. 1:1,2)
Sem o Espírito Santo não pode existir Deus nem vida (Jó 33:4)

1 – A identidade do Espírito no Antigo Testamento e Novo Testamento. Gen. 6:3; Is. 11:2; Is. 61:1; Mat. 10:20; S. Jo. 14:16,17; Rom. 8:2,11; 2 Cor. 4:13; 2 Tim. 1:7; Heb. 10:29; 1 Pd. 4:14.

2 – Personalidades e virtudes do Espírito Santo. S. Mat. 1:18; S. Mat. 3:16; S. Jo. 15:26; S. Mat. 28:19; S. Jo. 16:13-15; At. 13:2; Rom. 8:26-27; At. 7:51; Rom. 8:16 – Cristo é o Messias (Ele é o Ungido; Ele é a Unção; Ele é o Santo de Deus) – S. Mc. 1:24.

3 – Porque é que muitos não têm o Espírito Santo? Porque não creêm no seu batismo; porque não se vê como a água natural onde João Batizava, por isso não pedem ao Pai, por não crerem no Espírito Santo. S. Lc. 11:13. Só é possível ser membro do Corpo de Cristo pelo Espírito Santo. 1 Cor. 12:13.

4 – Quem não é batizado no Espírito Santo é carnal e não está salvo. S. Jo. 3:5,6; Rom. 8:1,8,9. Cornélio pediu, e lhe foi concedido o Espírito Santo. At. 10:44.

5 – O corpo dos crentes é morada do Espírito Santo. 1 Cor. 6:19; Rom. 8:11,16; 2 Tim. 1:14.

6 – Regeneração é ser uma nova criatura; é nascer de novo! S. Jo. 3:8; Tito 3:5,6; 2 Cor. 5:17.

7 – Só o Espírito Santo conhece e revela tudo. 1 Cor. 2:10,11. É impossível fugir ou esconder-se do Espírito Santo. Sl. 139:7; Sl. 104:29,30.

8 – O Espírito Santo convence do pecado. S. Jo. 16:8; At. 2:37,39.

9 – O cuidado de não pecarmos (blasfemar) contra o Espírito Santo. S. Mat. 12:31,32.

10 – O Espírito Santo está no meio do povo e vê tudo. Is. 63:11; Prov. 15:3; Gal. 3:27.





Sem comentários:

Enviar um comentário

Deixe o seu comentário.